A construção de conhecimento e de uma nova visão sobre o modo de produção e de vida foram o bem mais precioso trazido na bagagem por jovens rurais do Noroeste gaúcho que retornaram ao Brasil após participar de intercâmbio na Suíça. O programa “Praticantes na Suíça”, coordenado pela Agroimpuls – Schweizer Bauernverban, existe desde 1967 e viabiliza oportunidades de estágio remunerado em atividades agrícolas daquele país.

Propriedade Elson

Os primeiros estagiários, há 50 anos, partiram de navio para a Europa e lá permaneceram por quase três anos. Hoje, o período é de 18 meses e a logística é facilitada por via aérea e terrestre. Nos últimos 20 anos mais de mil estagiários tiveram a oportunidade de praticar agricultura na Suíça, sendo a maioria dos municípios de Campina das Missões, Cerro Largo, São Paulo das Missões e Caibaté, entre outros.

Além da ampliação de conhecimento, outro benefício do estágio é a possibilidade de fazer uma poupança com o valor recebido como remuneração enquanto pratica agricultura naquele país. Muitos jovens agricultores conseguiram alavancar o começo de sua vida de agricultor com os valores trazidos da Europa. Além da Suíça, muitos jovens da região têm realizado estágio em Liechtenstein, Áustria, Alemanha e Dinamarca.

Vidas transformadas

O agricultor Elson José Mentes, morador da Linha Butiá Sul, Campina das Missões, conta que assumiu novas perspectivas a partir do intercâmbio realizado entre abril de 2006 e outubro de 2007, na comunidade de Hallau pertencente ao estado de Schafhausen, na Suíça. “Aceitei o desafio porque queria aprofundar os conhecimentos em bovinocultura e por uma questão de renda, pois a partir deste intercâmbio consegui fazer investimentos na propriedade aqui no Brasil”, relata.

Na propriedade familiar em que permaneceu durante um ano e meio aprendeu aspectos importantes em relação ao manejo do gado de leiteiro, observando as fases de produção e reprodução, sendo que a alimentação é um ponto importante observado para a sanidade animal tanto no período de prenhez como no período seco. Também teve a oportunidade de conhecer mais sobre a suinocultura e a fruticultura, as outras duas atividades desenvolvidas na propriedade em que estagiou.

Com a experiência buscou qualificar o trabalho realizado na propriedade de seus pais, sendo que hoje Elson e a esposa Marilene Welter, seguem com a sucessão familiar na atividade leiteira e na suinocultura.

Já o produtor Neimar Backes, da comunidade de Vila Teresa, também teve a oportunidade de estagiar um ano e meio em uma propriedade familiar de Solothurn, na Suíça, em 2005 e 2006. Na propriedade envolveu-se com a produção de leite, fruticultura e lavouras de trigo, milho para silagem, nabo e triticale. Ele também destaca a preocupação especial com a nutrição dos animais, que hoje também inspira o trabalho em sua propriedade no interior de Campina das Missões, onde se dedica ao leite e à produção de grãos. “Outra questão que chama a atenção é que as propriedades daquela têm um perfil semelhante em relação as daqui, mas percebe-se o aproveitamento máximo da área, com estratégias para aproveitar bem cada pedaço da propriedade para a produção”, destaca. No retorno à Campina das Missões, Neimar se estalebeu e comprou um lote de terra, via Crédito Fundiário, em 2007.

Inscrições Abertas

A intermediação com a Agroimpuls – Schweizer Bauernverband, que acolhe os estagiários naquele país, é realizada por parceiros locais. Para poder realizar o estágio naquele país é preciso que o candidato saiba falar o idioma alemão, seja filho de agricultor ou trabalhe na agricultura e tenha carteira de habilitação.

Os interessados em participar podem buscar mais informações e se inscrever até o final de outubro com o agente local, Elói Jung, pelo fone (55) 3359-2027 ou 99637-0208. O estágio inicia-se em final de abril de 2018 e segue até outubro de 2019.


Pin It on Pinterest