Raridade, quatro espigas num pé de milho

Quem é agricultor sabe que é raro encontrar quatro espigas num pé de milho, o Sr. Armindo Giordani (77 anos de idade), aposentado desde 1999, residente na Rua Tuiuti, centro de Tuparendi, também sabe desta raridade, por isso comunicou o fato após achar este pé de milho no terreno que planta, próximo de sua residência, localizado na Rua Santa Catarina.

O terreno de 30 x 50m não é de sua propriedade, mas planta há vinte anos em troca de mantê-lo limpo, ocupando assim o seu tempo. Nele cultiva: melão, moranga, abóbora, amendoim, feijão, batata-doce (consumo próprio) e milho para as aves da espécie ganizé e casal de galo índio (ave rara) que cria em sua propriedade. Além de alimentar as aves com milho seco, colhe milho verde, que distribui aos filhos e para o seu próprio consumo (dele e esposa).

O milho é da variedade caiano (variedade antiga), semente que guarda a cada ano para o plantio, portanto, nunca precisa comprar no comércio.

Os maiores criadores de abelha jataí de Porto Mauá

O casal Natália e Mário Campanher, residentes no Reservado do Mauá, interior de Porto Mauá, são os maiores criadores de abelha jataí do município.

São 62 colméias espalhadas nas proximidades da residência, devido ao controle (limpeza) e risco de furtos, todas colocadas na sombra. A primeira colméia foi doada por Vilmar Campanher (irmão e vizinho), no ano de 2005, a partir de então foram sendo ampliados anualmente o número de colméias, que requerem diversos cuidados, inclusive na colheita do mel.

O mel é melado em dias de tempo bom (dias quentes), pela manhã, entre 9 e 12 horas, horário em que as abelhas saem das caixas (casas) para procurar mel. Os meses de dezembro e janeiro são propícios para colheita. É possível melar até duas vezes ao ano quando há bastante floração, poucas chuvas e poucas colméias próximas uma das outras. Os dias chuvosos prejudicam a colheita de mel junto às flores.

Para melar uma colméia, leva-se a caixinha (casa) até um local fechado, para o cheiro do mel não atrair outras variedades de abelhas, tais como as africanas, abelhas de ferrão. Abre-se a caixinha e fecha-se da mesma maneira, o mel que escorrer na caixinha deve ser secado, os favos são cortados com uma faca. É melado cada colméia individualmente, uma por uma, ou seja, é aberto a caixinha, retirado o mel, fechado e levado de volta ao mesmo local onde havia sido retirado. O casal consegue melar num dia (9 às 12 horas) em torno de vinte colméias.

Para retirar o mel dos favos é usada uma peneira e uma bacia esterilizadas. Os favos são colocados na peneira, que é colocada na borda superior da bacia, este mel levará em torno de oito horas para escorrer. Uma centrífuga agiliza este processo.

As caixinhas (casas) devem ser limpas por fora pelo menos três vezes ao ano, devido ao ataque dos inimigos naturais, tais como: formigas e aranhas.

O mel escorrido dos favos é claro, quando é escuro foi espremido.

As casinhas possuem diversas dimensões, as preferidas pelas abelhas jataí são compridas e estreitas (70 x 20cm).

A cera dos favos é guardada para pegar novos enxames.

Cada colméia produz em torno de um quilo de mel por ano.

Moranga gigante

A Sra. Zuleide Nonnenmacher (82 anos de idade), residente na Av. Cristóvão Colombo, centro de Porto Mauá, no dia 03 de fevereiro de 2017, recebeu de presente uma moranga gigante, com mais de 20 kg.

A moranga foi um presente do vizinho Antônio Dall Alba, agricultor do município, mas até o momento ainda não foi cortada devido a sua beleza e tamanho. O vizinho havia lhe pedido se aceitava uma moranga de presente, ela disse que sim, mas quando o avistou chegando com dificuldade com a moranga nos braços, devido ao peso e tamanho, se apavorou, pois não imaginava que seria tão grande.

Dona Zuleide está esperando a visita do Sr. Romeu Heinem, daí ela lhe oferecerá a moranga, para que ele faça chimia e doces com ela, pois ele é um exímio cozinheiro, para ficarem mais saborosos são feitos em tacho de cobre.

A agricultora aposentada, Analdina do Santos, residente na Barra do Santo Cristo, interior do município, também colheu morangas com tamanhos acima do normal, de 14 kg.

VILSON WINKLER
Jornalista MTB nº 14977
Representante de  jornais desde 01/02/1990
Representante dos jornais Noroeste e Sentinela
Oficial Administrativo (23 anos) / Secretário Junta Militar (20 anos) / Prefeitura Municipal de Porto Mauá
[email protected] ou [email protected]
(55) 99613 1158 ou (55) 3545 1146 (coml)

Pin It on Pinterest