(55) Claro 9106-5787 WhatsApp | Vivo 9602-5153 | Tim 8143-2349 | Oi 8468-4083 | Santa Rosa - RS mensagempara@leitequente.com

Barragens motivam debates na ACISAP

Entidades formatarão documento que será entregue ao governador.

Por iniciativa da ACISAP – Associação Comercial, Industrial, Serviços e Agropecuária de Santa Rosa, em conjunto com a AD – Agência de Desenvolvimento e COMUDE – Conselho Municipal de Desenvolvimento de Santa Rosa, foi realizado na segunda-feira, 18, um importante encontro, em forma de Assembleia, com lideranças e representantes de diversas entidades dos municípios que fazem parte da FEDERASUL, e que direta ou indiretamente serão afetados com a construção da nova barragem a ser construída no rio Uruguai, denominada Panambi.

Conduzido pelo presidente da ACISAP, Sr. José Muñoz Garcia, o debate teve início com a apresentação de uma planilha que aponta os impactos naturais, econômicos e sociais que o novo reservatório acarretará aos municípios de Alecrim, Dr. Mauricio Cardoso, Novo Machado, Porto Mauá, Santo Cristo, Tucunduva, Tuparendi, Crissiumal, Derrubadas, Esperança do Sul e Tiradentes do Sul. A estimativa é de que cerca de 6700 pessoas sejam afetadas, sendo a grande maioria na área rural. A Assembleia teve o objetivo de formar um único grupo de trabalho com uma estrutura definida, sendo escolhidos os Coordenadores das seguintes áreas: Indústria Comércio e Serviços, Educação, Segurança, Saúde, Meio Ambiente, Infra Estrutura, Agricultura, Inclusão Digital, Turismo, Impactos Sociais, Royaltes e outros setores que poderão apresentar demanda. A Comissão constituída tem até 31 de julho, prazo em que deverá ser entregue ao governo do estado um documento contendo todos os dados levantados pelas comissões anteriormente mencionadas.

A construção da barragem no município de Alecrim, segundo informações colhidas, terá a duração de 6 anos desde o início dos estudos. Juntamente com a usina de Garabi, outra barragem que será construída no município de Garruchos, a produção de energia elétrica prevista é de 2.200 Mw com um custo de 5,2 bilhões de dólares. Entre empregos diretos e indiretos, estima-se que sejam gerados cerca de 40.000 empregos.

Após intensas discussões, foram indicados provisoriamente os Coordenadores: na Educação – Cesar Antônio Mantovani, da FAHOR; Segurança, e também um link com o Meio Ambiente – Major Ribas, da Brigada Militar; Indústria e Comércio – Rubi Artus, da FEDERASUL; Saúde – Vanderlei Barros, da FUMSSAR; Infraestrutura – Valdir Carpenedo, da  FIERGS; Agricultura – Nelson Dell Valle; Turismo – José Abi Knapp; Impactos Sociais ficou a cargo das universidades;  e no setor de Royaltes o nome indicado foi do Sr. Nerci Ames.

Santa Rosa
Share This